Dia Nacional do Forró!

Hoje, 13 de dezembro, é comemorado o Dia do Nacional do Forró. A data comemorativa foi instituída desde 2005, com o intuito de homenagear Luiz Gonzaga, Rei do Baião, que faz aniversário na mesma data (conferir post sobre Luiz Gonzaga).

Muitas cidades terão uma programação especial para comemorar essa data. Em Fortaleza, 20 atrações se reunirão hoje à noite, às 20 horas, no Polo Luiz Gonzaga, no Conjunto Ceará. “Foram selecionados artistas que fazem parte da nossa história musical e são engajados na luta por esse movimento do forró de qualidade”, disse Walter Medeiros – presidente da ACF (Associação Cearense do Forró), responsável pela iniciativa do evento. Uma das atrações é a Orquestra Sanfonas do Ceará e o Balé Folclórico Arte Popular.

Em Sergipe, a festa também é gratuita e acontecerá na Orla de Atalaia, com a apresentação de quadrilhas juninas, trios de forró pé de serra, grupos folclóricos e a Orquestra Sanfônica de Aracaju (ORSA).

SOBRE O FORRÓ:

No dia do forró, vale relembrar onde surgiu esse ritmo e quais são as suas principais características.

Há quem diga que forró originou-se do termo em inglês “for all”, que significa “para todos”. Outros, porém, advertem que o termo forró surgiu do termo africano “forrobodó”, que significa festa, bagunça. À parte as traduções livres do termo, os ritmos que compõem o forró são destacáveis pela sua variedade – tem o xote, o xaxado, o repente o maracatu, o lamento e, claro, o baião.

O primeiro deles, o xote, teve origem na Alemanha (intitulado Schottisch) e ao chegar em solo brasileiro, sofreu influências do gingado dos africanos e teve seu nome transformado para “xote”. O xaxado é uma dança popular brasileira, que era dançada por cangaceiros do bando de Lampião, cujo nome “xaxado” é atribuído ao barulho que as sandálias dos cangaceiros faziam na areia do sertão. O repente é um ritmo que mistura música e poesia, caracterizado pelo improviso, cuja origem remonta a época dos trovadores medievais – o nome faz alusão ao modo como os versos são feitos: “de repente”. O maracatu é caracterizado pela predominância do som dos instrumentos de percussão e teve origem nas congadas (cerimônias de coração de reis da Nação Negra do Brasil). O lamento difere-se dos outros ritmos por ser um canção triste, composta por versículos que permitam a encenação em uma tragédia. O baião, por sua vez, é uma dança alegre típica do nordeste brasileiro, derivado do lundu. que tem como rei o nordestino Luiz Gonzaga.

FONTES: Grupo ArrastapéInforme SergipeDiário do Nordeste.

Anúncios
Categorias: Festas, Música | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: